Um grave acidente com a Challenger, faz a NASA suspender o envio de astronautas ao espaço por mais de dois anos. - 28 Jan 2019
28 de janeiro de 1986, um grave acidente com a Challenger provocou a morte de sete tripulantes, incluindo uma professora de escola pública, selecionada para se juntar a missão e dar aulas no espaço.

O desastre interrompeu por 32 meses o programa de ônibus espaciais americanos.

Uma comissão do governo investigou as causas do acidente e concluiu que a NASA, a Agência Espacial Americana, foi negligente, que o desastre foi resultado do mau funcionamento de um dos anéis selantes do foguete.

Eles eram feitos de borracha e endureceram a uma temperatura de -1,5º. Com o abalo estrutural, somado as forças aerodinâmicas, a Challenger acabou destruída.

O lançamento do foguete foi adiado por seis dias, principalmente devido às más condições do tempo. A manhã do dia 28 de janeiro estava estranhamente mais fria e os engenheiros alertaram sobre uma possível falha dos anéis, que não suportariam as baixas temperaturas. Era um problema na produção desses componentes desde 1977, mas os alertas foram ignorados.

Às 11 da manhã a Challenger decolou, 73 segundos depois, os familiares dos astronautas e da professora, assistiram incrédulos à explosão do ônibus espacial. A tragédia foi vista na televisão, por milhões de pessoas ao redor do planeta que acompanhavam o lançamento.

Após o acidente, a NASA não enviou astronautas ao espaço por mais de dois anos. Mais tarde os voos foram retomados com o lançamento da Discovery, desde então, o ônibus espacial realizou inúmeras e importantes missões, incluindo o reparo das lentes do telescópio Hubble e a construção da estação espacial internacional.

Fonte: Rádio Agência Nacional
Edição: Adriana Alcoforado
Texto: Dilson Santa Fé
Complemento: Lucimar Vaz
Licenciamento: CREATIVE COMMONS - CC BY 3.0

Obrigado Pela Sua Visita!
.:Rádio Cosmopolitana:.